Todos falam,
Agitam os abraços
Correm, param,
Todos fogem,
Voltam, descem, sobem
Ladeiras e montanhas...
Todos caem,
Levantam-se,
Caminhos a seguir...
Todos olham e não vêem
Alguns pedem,
Outros roubam,
Choram e riem
Todos temem,
Dizem amém, imploram...
Muitos agridem,
Outros acariciam,
Todos fingem que existem,
Mas eu não sinto ninguém
Todos me olham
E eu não vejo ninguém
Todos estão ao meu redor
E eu aqui me sentindo tão só!

Autora
Liê Ribeiro/1999

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.