Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

Um Poema para tudo!

Imagem
Tudo de bom Tudo de melhor
Tudo de tudo
O nada que compõe
Os nossos dias
Pequenas coisas!
Algumas magoam profundamente
Outras trazem tanto prazer
Alguns passarão pelo nosso caminho.
Vão e nada levarão...
Outros deixaram marcas intensas
Algumas boas, outras irrelevantes
Magoamos, somos magoados
Não adianta remediar a vida
O corpo pede movimento
A mente pede descanso
Se eu me salvar das horas
Com certeza sairei mais forte
Não posso colocar palavras
No seu dicionário
Nem inventar monólogos
Que somente eu ouvirei
Não é pela quantidade de verbos
Que compomos nossos objetivos
Se eu tenho o poder
De não ser entendida
Pouco importa os subjetivos.
O presente lhe parece vazio?
É por que o vazio na verdade
Está dentro de você
Arranque a armadura que te esconde
E se arrisque a viver o bem e o mal...
Pois nada é definitivamente ruim ou bom
Se algo te importa de verdade
Dispa-se de qualquer mágoa presente ou passada
Pois no espelho terás sempre o reflexo
Do que trazes na alma
Não traga rancor.
O trincar do sentir menor
Lave a dor com…

O tempo e a realidade!

Imagem
Você disse que não sabe dividir Momentos de preocupação
Ocupação
Eu sou tão útil...
Tão inútil para mim mesma

Você nem enxerga Que estou sozinha, terrivelmente sozinha
Musica e solidão
Casa e o vazio
Mas eu caio em pé
Sem piedades vãs

Eu não sei se vou esperar A realidade passar.
Eu não sei o que morrerá até lá
Na estação do destino
O trem da vida passa rápido

Alguém sozinho na estação ficará Talvez ele espere
Por alguém especial que nunca chegará
Pobre menina sonhadora
Envelheceu na varanda do passado

E lá ficará, estatua de pedra... Nenhum amigo verdadeiro
Nenhum mar para sonhar
Frio e neve...

Esperando pelo outono... A primavera das flores
Que não mais colherá
Não há para quem entregar...

Vasta realidade sem piedade Não adianta remediar o crepúsculo
A vida é assim mesmo
Eu que ainda não aprendi a vivê-la...
Na sua cruel ficção...

Autora Emiliê/Liê


Meu Cavaleiro Valente!

Imagem
Valente esse meu cavaleiro Atravessou as muralhas de seu castelo
Armou o peito de uma ternura silenciosa
Feriu-se por um amor passado.
Mas derrotou a amargura.

Valente alma atravessando o tempo Ponderando o afeto algo de especial.
Renascendo do ontem sem perspectiva
Para o hoje cheio de sorrisos...

Valente cavaleiro que vence a si mesmo E vem na minha vida coexistir...
O quanto aprendemos...
A cada minuto, todo um século.

Valente mulher a parir um novo ser O sonho que não morreu...
Só se aninhou ao seu autismo
Mundo e mundos, tudo exatamente
Como deve ser, precisamos aprender...

Dói! Nós sabemos, sangramos nós sentimos.
Tudo pode ser muito cruel, mundo inóspito.
Mas nada é em vão...

Valente rapaz que o tempo lápida A pedra bruta da vida...
O verdadeiro motivo da minha luta
Quiçá para um futuro menos dolorido

A liberdade de ser, o que é... Amado e respeitado
Valente cavaleiro
Que vai se despindo da armadura
E se mostra gentil e amado.

Não há motivos para sofrer tanto Não há medo que vença nossa credibilidade
Afinal …

Amar o Diferente!

Imagem
Como domar Minha alma errante?
Como esconder
Minha aparência frágil
A verdade quem descobriu
Onde mora?
Casa abandonada dentro de nós.

A mentira tem sabor doce... No primeiro momento
Mas como ela machuca quando descoberta.
A verdade na primeira impressão
Choca, mas como ela alivia nossa consciência

Repara a verdade não está na palavra
Mas sim no olhar...
Como é difícil encontrá-la.

Gosto de encarar o medo Prefiro morrer lutando
Do que parar e esperar a vida
Ela passa tão rápida, logo vira esquina
E adeus para quem fica.

Nosso destino colado
Pela eterna vontade de amor
O amor que supera os dias vazios
O amor que vence o tempo
E dá uma virada no destino

Quem nos condenou ao isolamento
Não entende que não somos inimigos
Só pensamos de forma diferente
E de diferença eu entendo bem...

Convivo todas as horas com ela
E ela faz parte do meu cotidiano.
E eu aprendi a amá-la sem preconceito
Mas aprender minha cara
É duro, é duro...

Autora Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Ser Poeta!

Imagem
Perguntaram-me um dia O que é ser POETA.
Poetisa, não importa
Nunca havia pensado nisso
O poeta nasce poeta
Jamais se torna.

Então não posso explicar Mas sim sentir...
A consciência da vida
Mesmo que ela parece fugir
Da verdadeira realidade.

Seres perdidos dentro do pensamento
Que nos invocam a escrever.
Ser Poeta!
Talvez seja estar ausente mesmo presente

Sorrir mesmo chorando É ser o fingidor mesmo sendo autêntico
É pensar com coração e amar com cérebro
E resistir mesmo sem resistência
A todas as dores da alma.

Fechar os olhos da matéria E abrir os olhos do espírito
Ser poeta talvez seja alguém extinção
Que vai pela vida seguindo sua intuição
O cheiro do papel escrito preso nas mãos.

Que mergulha na mais profunda escuridão A procura da luz divina
Ser poeta é amar o improvável
E por ele quase morrer...
Ser poeta talvez seja abrigar
Toda forma de existir dentro si...

Autora Liê Ribeiro