O sol sairá, sempre...
As manhãs sempre nascerão...
É por isso que vivemos.

Pelas tardes ensolaradas
Pelas noites estreladas,
Pelas flores de primavera,
Que em nosso jardim imaginário brotam.


É pelo amor que ainda chegará
Que as cadeiras vazias
Esperam na varanda.

É tão simples o querer
De quem ama...
Uma palavra rebuscada,
Um olhar que brilha.

O mar batendo nos rochedos
É assim o coração de quem ama,
E o amor revigora, regenera e cura!
O transforma a pedra bruta
Numa gota de orvalho...

O meu querer por esse amor, espera,
O meu querer por esse sonho, dorme!
E esse querer feiticeiro me acalenta...
Aconchega-me e me faz existir!

Autora:
Liê Ribeiro



Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!