A lágrima não volta para olhos.
A palavra não volta para boca
A vida não volta para trás
O destino não retrocede...

Somos o que criamos ..
Somos o reflexo, a genética do pai.
O x y da mãe...
Os passos dados não retornam para o pé...
Marcas que ficaram refletidas
Em nossos atos subalternos.

E todo germe e toda bactéria.
Formam nossa consciência
A ciência refém da ganância
Pouca cura, muito remédio...
Pouco amor, muita grana...

O pensamento se perde..
Em flashes de vidas que passaram
E nem notamos o quanto elas foram importantes...
A carne não se recompõe...
Apenas se decompõe, tornam-nos iguais.

E o que foi perdido
Um dia será achado
Aquele velho caminho
Seguido pelo mestre...
E se não cedermos à dor
Com certeza acharemos
Um oásis no deserto de nós mesmos!

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!