Quebrem minha perna
Cortem meus pés
Mas não tentem invadir
Meu interior...
A dor interna é muito maior.

Preciso ensinar meu filho
O básico de uma sociedade hipócrita.
Preciso inseri-lo no cotidiano da cidade.
O errado e o certo...
Que ninguém realmente sabe viver...

Por favor, não me deixem,
Aqui nessa desesperança coletiva
Se eu pudesse escolher...
Viveria com meu filho em seu mundo.

O que há de errado lá?
Talvez o desprendido sonho...
Talvez a deslocada vida
Talvez a loucura lúdica do viver...
Talvez a arte mais pura...
Talvez a forma mais perfeita.

Mas onde há beleza?
Fora da realeza do existir
Cumprindo um destino
E a deficiência não esta na matéria
É a concepção do preconceito
É o conceito dos seres em serie.

Fora dos padrões.
Joga-se fora...
Nada se pode aproveitar
O fanatismo beira a ignorância...

Por isso, dêem-me um tiro.
Mas que seja certeiro
Pois pior que a dor de morrer
É a dor de viver
Presenciando tanta intolerância
Arrogância e falta de ética....

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.