Todo dia você abre seu livro
Lê um trecho, pensa em algo.
E segue seu destino.
Quem tu és, quem tu serás?

Nessa roda continua...
Todo dia você pensa ser o futuro
Diferente do hoje...
E toda rotina na roda continua...

A mesma gota de lágrima acida
A mesma vontade que tudo seja diferente
Mas diferente do que, de que, aonde?
Como, com quem?

Todo dia você ouve as mesmas lamurias
O mundo dos seres vazios.
Todo dia você adormece,
Esperando por aquele sonho,
Que te fará sorrir, ser feliz...

Mas logo o amanhã acordará
E nenhuma lembrança...
Você lava o rosto, e nenhum vestígio do sorriso...
Todo dia você luta para ser você mesma...
Mas a conveniência de uma sociedade doente te toma...

O café tem gosto de barro.
O leite parece ser apenas água...
O pão tem bromato demais...
Fé e esperança seria a cura...

Mas toda a palavra está gasta.
Todas as fórmulas não resolvem
Aquela eterna espera
Por um amanhã que nunca chega, quando? ...

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.