Eu não posso escrever-te
Já o fiz há muito tempo..
Há tanto tempo
Que nem o mais antigo eu lembro...

Tanto mar, tanta terra, tanto ar...
Tantos passos dados
Tantos ainda por dar...

Não posso provar o que digo,
Não posso vencer o mal dito...
As palavras se perdem
No labirinto do que sinto...

Minto se há algo por desvendar...
Há tanto sol e tanta chuva.
Tanto chuvisco a me molhar...

Mas eu não sei o que escrever
Se amar, é sofrer, se amar é sonhar...
É vencer as tormentas,
É correr as montanhas
É relembrar momentos felizes...

Mas há uma nevoa
A cobrir a estrada
Um caminho longo de volta...
Um sentir adormecido

Mas há uma esperança na poesia
Há um por do sol que caíra...
Na tarde de um nova chance
Quem sabe, quem dera,
Na eternidade de amar....

Autora
Liê Ribeiro
com carinho...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.