Eu tenho um cansaço
Um cansaço de olhar
E nada ver de belo...
Tiros e rostos doloridos.
Ninguém conhecido
Ninguém parecido....

A! Às vezes eu tenho um cansaço
De sentir que tudo um dia acaba...
Até a esperança...
Mas há uma força escondida dentro de nós.
Que nos levanta pela manhã;
Que nos cobra vencer ao longo do dia...

Vá, solte um sorriso...
Redescubra o sentido de existir...
Mas eu tenho cansaço de passos
Que nunca saem do lugar
Ou desgasta de tanto querer andar...

A! Essa longa estrada, essa breve vida...
Seguiremos perseguindo sonhos sempre
Mesmo que em noite de tempestade
Um duro pesadelo venha nos tomar...

Mas há um cansaço de insônia
A mente que não pára de pensar
Remoer memórias que já se apagam...
Quem escreveu a nossa história.

Crua, dolorida, colorida, cinza.
Não se importou...
Se havia um sentido exato
Ou foi apenas uma inspiração.

Às vezes eu tenho cansaço
Da palavra e da escrita...
Mas como a alma não nos pertence
Por mais que não desejamos
A vida segue seu ciclo, cansada ou não...

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.