Meu filho
Não conhece o tempo
As horas são continuas
Mas ele quer se soltar...
O tempo passa por ele
E seu semblante é de menino
Eterno menino a crescer.

Desenvolve o corpo
E a mente foge
Por caminhos que temos que perseguir
Ele corre eu corro para lhe alcançar...

Não cansarei de buscá-lo..
Eterna luta eterna lida.
O que importa é que ele me acordou com o beijo...
Sorriu e fugiu de novo.

Meu filho, agora quer dançar.
Fica todo atento a letra
Fica atento com o ritmo...
Ele parece flutuar e ser feliz...
A musica o alcança longe, muito longe.

Ele precisa de um cais
Invento um oceano....
Mas ele quer asas
Quer voar além dessa vida obvia
Mas eu não sei fingir ser pássaro.

Meu filho enxuga minha lágrima
Não entende esse chorar constante...
Mas eu sei que ele sente
Mas o seu sentir tem que ser interpretado.

Como quem estuda por anos
Um idioma estrangeiro...
E ele vibra quando se faz entender
Um jeito só seu de ser...
Eu invento um jeito novo de amar...
Afinal, o seu eu é todo mar é todo mistério...

E assim vamos inventando cada dia
Uma nova forma de viver
Que não seja ilusória e hipócrita
Que eu o enxergue autista
E que ele me enxergue humana.

E se às vezes parecer demais
Eu invento uma ponte
E se ele não quiser atravessar
Que me espere, eu irei buscá-lo...

E se mesmo assim não quiser atravessar
Eu atravesso, o abraço!
E assim ficaremos até adormecemos
Afinal merecemos ser respeitados como somos!

Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!