Por onde andavas?
Por quais terras fugistes?
Porque seu olhar
Vaza minha mente...
Porque tantas perguntas
Se nem ao menos
Sabemos como as responder...

Perdoa vasculhar tua alma...
Por tantas vidas eu te busquei
Que ao te reencontrar me perdi...

Aonde esconderam o romantismo?
Aquela frase que nos revela humanos...
Aquela flor que nos faz sonhar...
Corpo e pele em pura união...

Não podemos confessar que amamos
O mundo jamais entenderá...
Que amar é se entregar
Sem medida e sem pensar...

Mas há tanto pó para espanar
Limpar as imperfeições...
Criar uma nova forma
Para enxergar nosso interior.

Escavamos, escavamos...
E o tesouro do amor
Poderemos encontrar
Guardemo-los cuidadosamente...

Pois o amor está em extinção
E se não amarmos
Somente o veremos nos museus
Em poesias escritas há tanto tempo
Que nem lembraremos quem escreveu...

O amor é para ser amado...
Sentindo, em cada parte do nosso corpo.
Esquecimento do sofrimento...
A redenção do destino, a imortalidade da vida..
Creia, amo-te por toda eternidade e mais dois dias...

Autora
Liê Ribeiro

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!