Se eu pudesse faria um varal de palavras
O amor tremularia ao sabor dos ventos...
Fraternidade alvejadinha a brilhar a luz do dia.
Cumplicidade, colorida a enfeitar o quintal...


Cadê os quintais?
O respeito secaria lentamente abençoado
Pelo amigo sol...
A amizade eu pregaria com vários pregadores
Para que ela nunca se desprendesse de mim.


A! Se eu pudesse não ouvira tantas bobagens
Viveria em meu próprio habitat.
Rodeada de palavras doces
A! Não posso deixar de estender bem esticadinho, o sonho...


E que todos possam vê-lo...
E que todos queiram nele entregar o coração.
E como meu quintal não tem portão.
Que cada pessoa passe e pegue uma palavra
A leve dentro de si...


A! Por último
Lá bem no meio do Varal
A poderosa cocha de cetim chamada felicidade...
E que ela cintile eternamente
Para quem acredita no poder das palavras.

E que o silencio de um dia...
Nunca seja o mutismo de uma vida toda.

Pois a palavra mais poderosa
Não é a falada.
É a palavra!
Que mostramos com as nossas atitudes
No varal das nossas vidas!

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!