A aridez de viver!

Colocas em minhas mãos
Vidas e formas
E eu apresso em conceder-te
Algumas poucas horas...

Hás tantos porquês no mundo,
No fundo as respostas
Já estão quase todas prontas...
No mesmo discurso vazio.

A realidade com cara e boca
Faz-nos caretas, nos fala mal...
Joga-nos na lida e que nos viremos.

A! Eu Precisaria de um pouco de sonho,
Vocês precisavam de todos os sonhos
E eu queria saber o que você sonha,
Nesse sofá amanhecido,
Nesse mundo desconhecido...

Quais os personagens que o encanta.
E se você chorasse, e eu te acalentasse,
Seríamos mais humanos talvez,
Nenhuma dor deveria ensinar


Mas somos tão frágeis e incompletos
Que por não conhecer a verdadeira felicidade
Apegamo-nos á coisas ao invés de sentimentos.
E no deserto diário, algo que pudesse nos fazer sorrir
E que você possa compreender.

Que o amor é uma estrada de ida e de volta
De troca e de cumplicidade,
E no corpo apenas sua maior manifestação...

Mas como eu queria adentrar nesse seu olhar...
Longe... longe ele vaga,
Outras terras, outros céus, quantas luas?

Não posso adivinhar o que queres
Dentro dessa rotina gasta,
Por enquanto, eu me visto de gente
Você corre, em volta de si mesmo.

E na aridez da vida, ainda sorrimos.
Ainda acreditamos que somos almas.
Quem sabe almas gêmeas...

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

  1. o amor é uma estrada de ida e volta...
    Os pés doem no caminhar, e se fortalecem também.
    E vamos em frente, seguindo, com o olhar sempre nas curvas dessa estrada, os pés no chão, e as almas planando além do céu azul...

    ResponderExcluir
  2. O amor é uma nave a voar, tão longe
    tão perto , quase um cometa, seu rastro perdido no céu escuro, mas quando nada mais for mais importante que amor, quem sabe ele ache a estrada de volta, quem sabe...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!