Eu tenho que escrever o que sinto...
Como se me afogasse em letras...
Como se respirasse linhas...
Como se vomitasse palavras...

Eu tenho que escrever,
Por mais que eu não queira...
Pois é algo além de mim,
Além da minha mente,
Quase a minha alma.

Leio os poetas e todos os poetas
Estão em mim...
Adorno sonhos que nunca morrem.
Adormeço pensamentos que não param...

Preciso da doçura das estrofes
Ou do amargo de algumas rimas.
Vento, pensamento
Coração, emoção.
Prelúdio, preâmbulo...

Do que sinto, pouco ainda expeli
Pois o meu sentir parece
Raízes de um grande jequitibá
Cava-se, cava-se e nunca se chega ao principio.
Essa nevoa que mim se veste,
Por isso eu preciso escrever
Entenda, eu preciso escrever!


Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz.

Comentários

  1. Todo jequitibá não prescinde de um ipê rosa, e dos mistérios da vida...

    ResponderExcluir
  2. Adoro Ipês rosas e Brancos, adoro sua magia e o Jequitibá ao lado do Ipê formam lindas sombras, gosto de urzes azedinhas e Bluesbell nas manhãs de doce primavera.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!