Quando eu vi seu olhar atento e sincero
Achei-o lindo, suave, quase feliz...
Quando o cansaço vem maltratar meu corpo
Eu olho dentro do seu olhar singelo
E me liberto de toda dor...

Quando eu vi ele sorrindo para
O vôo rasante da borboleta...
Achei-o lindo, quase meu, quase ele...
Algo de magico me tomou
Algo de sublime,de amor
Amor de vidas...
Deus, quantas vidas?

Mergulhei em lágrimas
Sem que ele visse...
Mas eram lágrimas de emoção...
Aquelas que não seguramos
Que não explicamos
Pois nossas almas errantes
Muitas vezes nos conduz

A!esse olhar de anjo...
Esse sorriso de mar...
Me faz esquecer os dogmas
Me faz engolir as lágrimas..
Ter alguma esperança,

Não me fragilizar demais,
Não crer menos...
Guardarei para sempre em minha retina
Esse teu olhar!

Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!