A beleza da correnteza,
As incertezas são maiores que as certezas
Esse ritual diário,
Essa rotina tão igual,
Tantas necessidades inúteis...

Mas há beleza na correnteza
A perseverança, amiga intima da esperança
Precisamos sempre daquela palavra!
Que nunca foi dita...

E o vento que poderia varrer os maus pensamentos.
O toque suave do piano,
Algo de relevante para se fazer...
Mas o tempo se perde nas horas.

A luta é de guerra...
Travada nas ruas, nessa solidão dos rostos
Nessa presa de gestos, nessa falta de espaço...
Mas a tanta beleza além dos olhos...

A tanta essência além da matéria
E o mundo se extingue, por falta do simples...
Aquele momento único...
Que não se compra nem se vende
Mas quando penso no fim...
Aparece em meu coração um começo!

Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz...

Comentários

  1. todo dia se renova
    a magia do amor
    prá quem sabe percebê-lo nas entrelinhas
    prá quem na vida faz dele um poema
    prá quem exercita a arte de amar...

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito, é verdade , o maior legado do poeta, é seu eterno amor, nem só nas entrelinhas mas entre linhos...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.