Da Loucura, a poesia!


Eu perdi os sentidos.
Eu confundi os espertos
Eu corri dos realistas
Dos idealistas de gravata.
Esqueci a metáfora das cifras.


Andei nu pelas praças
Nadei na poça d’água
Amei o mistério do lago.
Essa forma inexata de existir.


Amei as lendas e seus personagens.
Amei os girassóis de Van Gogh.
Viajei em seus campos...
Voei em seus sonhos...


Dancei com as bailarinas de Degas
Recitei poemas de amor aos surdos.
Emergi da grande solidão
Respirei a brisa do mar
Esqueci que era só.


Esqueci que a minha nudez
Afrontava a realidade
Minha nudez de alma
Minha nudez de maldade


Meu corpo em brasa
Minha mente insana.
Esqueci que ser poeta
Dói numa profundidade oceânica.


E se me afogo em palavras
Em estrofes perdidas e tolas.
Não esquecerei jamais.
Que nada eu seria se não fosse Poeta.
E que necessito da poesia
Como o pão alimento da vida!


Autora:
Liê
paz e luz. carinho.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.