Dialogo de um Só!


Pergunto ao meu filho
O que temos a perder
Desse mundo confuso...
Ele sorri,
Afinal ele não fala minha língua...


Apresso-me a sorrir,
Pois logo uma lágrima
Teima em querer cair...
E ele sem entender
Dá-me um beijo
E volta a suas tarefas repetitivas.


Ouve musica, joga no computador
Deita e fica olhando para o teto vazio
Eu queria estar ali, a me fazer de estrela
Ouvir seus olhos,
Afinal sua fala também é cíclica
E como lhe falta imaginação
Ele repete e repete...


Mas que falta de reflexão a minha...
Afinal ele tem sua própria forma de pensar.
Preciso entender seu olhar
Cavar até alcançar seu mais profundo eu...




Penetrar suavemente em seu mundo
Se não ele foge, milhas e milhas
E eu nem tenho tanta perna assim.
Nem tanta sabedoria,
Para entender
Que a maluca aqui sou eu...


Querendo fazer dele
Algo semelhante,
Semelhante a que?
O que ele é não tem cura
Mas ele não é doente,
Ele é ele, e o que ele é
A ciência procura descobrir.


E não me digam que o meu filho somente
Terá essa limitada vida terrestre.
Não vou engolir essa blasfêmia...
Ele merece uma nova chance.


E eu procuro decifrar a cada manhã.
Confesso que muitas vezes me canso,
E digo:
Pare um pouco nesse vai e vem
O mundo não vai mudar por você


E eu sou o que sou e ponto final...
Você mal sabe o que és...
Nossa que loucura as nossas vidas,
E eu tive que aprender
A cada facada da vida em meu coração.


Se eu pudesse vazaria pela direita
Pegava uma reta, e fosse o que Deus quisesse,
Alguma lua a mostrar o caminho
Algum amor exclusivo
Que me alimentasse de poesia.


Mas lá vamos nós, você sendo você
Eu com uma vontade imensa
De não ser, apenas continuar de onde parei
Algum motivo para acreditar na felicidade.
Que não fosse uma utopia distante.


Mas como diria o sábio provérbio desconhecido
Depois de um dia vem outro dia.
Quem sabe quando você acordar eu durma
Quem sabe amanhã o manto da escuridão nos deixe
E um lindo sol prepare a estrada para nossa derradeira viagem!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.
Paz e luz...

Comentários

  1. De mãe para mãe, um grande abraço apertado, sentido... de força, de esperança, de amizade e de admiração. Gosto de passear-me por aqui... apenas para saboar momentos de pura poesia, mas hoje apeteceu-me deixar um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Liê, minha querida parabéns!!! Por tamanha sabedoria, sensibilidade e capacidade de expressar com tanta ternura, as nossas alegrias, dores, angústias. Obrigada por traduzir em lindas palavras os nossos mais contraditórios sentimentos. Bjão pra vc e Gabriel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!