Do que tenho medo?

O que me faz aterrar
São todas as minhas possibilidades
Quais mesmo eu quis de verdade?


Amedronta-me as falas hipócritas
A falta de uma palavra sincera...
Amedronta-me eu me ver
Envolvida em redes de subjugação...


E o saber que requer humildade...
E a sabedoria que não é dessa vida.
Amedronta-me o fim sem um começo.
E tantas coisas por fazer...

Mas nunca há tempo,
Pois o tempo corre mais que as horas,
E aquele momento
Que tudo deveria parar,


Para que tivéssemos um instante
Sem pensar, sem agir, sem sofrer,
Sem chorar, sem vazio, sem medo...
Nunca chega, nem vai chegar.


Então cara vida, vá seguindo
Eu na frente você atrás
Empurrando-me para eu não parar.
Vamos em frente,
Mesmo não sabendo o que encontraremos
Vamos seguindo essa é a nossa missão!




Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!