Eu me perdi,

Não tente me encontrar...
Eu me perdi
Entre palavras e sons...


Quis tanto me achar
E me perdi...
Nem cabe mais a rima,
Nem sei formar o mesmo pensamento
Do mesmo ensejo, da mesma vida...


A estrada é uma reta,
E eu preciso chegar...
Chegar a algum lugar
Que me traga paz...
Aquelas noites do coaxar dos sapos


Essa é minha vida desenquadrada
Sem foco, que teima em continuar...
A linha é o traço por Deus traçado,
O livre arbítrio
E os mesmos erros nós cometemos.

Quantas vidas, quantas horas
Precisaremos para aprender a ser?
Pois quem tem tudo, nada de seu possui...
É irônico, mais é verdade...
E na realidade quando eu me perdi
Achei-me, doce, feliz, vi seres...


Quase flutuei, quase morri sem morrer
Quase vivi sem viver...

Na verdade enlouqueci, mas ninguém percebeu!


Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!