Nós crescemos juntos,
Nós sofremos juntos
Nós nos perdemos juntos
Encontramos rastros de passos dados.


Fizemos um pacto nas estrelas
Caímos na terra árida,
Carregamos a matéria densa
Perseguimos o lúdico no lodo.


Mas o tempo cronológico
Não conta a nossa eternidade
Onde reside todo aprendizado
E a revelação da alma imortal...




Não há raízes sem seiva...
Não há existência sem essência,
Nós batemos de frente muitas vezes
O enquadramento que nunca se enquadra.


A forma que nunca é exata,
Falta sempre um começo...
A luta que nunca acaba,
E quando penso no tempo que passou,

Quando avalio toda trajetória,
Respiro fundo, enxugo as lágrimas
E abraço-te apertado,
Sinto teu coração menino,
Batendo sempre em descompasso
E o seu semblante amadurecido.


Mas o olhar sempre garoto
Que vai buscando detalhes,
Que vai fugindo do obvio
Que se embaça em lágrimas
Que nunca caem...


Felizes os que aprendem
E nunca se arrependem.
Felizes os que nunca blasfemam,
E compreendem a missão da vida


Nós nunca fomos perfeitos,
Mas cultivamos um amor sereno
E por mais que o destino nos cobre
Devedores de histórias passadas
Temos vencido a cada momento uma nova etapa.


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.