Você me derrota

Quando não me reconhece
Diante de tantas evidências...
Pois palavras são somente palavras
Os olhos muitas vezes dizem mais...



Há um silencio a se quebrar...
Há vestígios que devemos apagar.
Quando foi que aprendemos algo sem sofrer?
Confesso não lembrar...


Mas se eu devo esquecer as horas.
Se eu devo cumprir o prometido
Eu o farei, creia...
Mas seguir assim não é fácil...


Havia tanto por falar...
Havia coisas obvias a ouvir...
Pequenas demonstrações de carinho,
Aquele dia de carência de humanidade


Aquela vontade de repousar
Sem ter que pensar, reavaliar
Cada instante vivido,
E o que ainda ficou por viver...


Quantos anos nós precisaremos
Para nos reconhecermos definitivamente
Mas a infinita possibilidade
De que possamos vencer todos os obstáculos

É barrada por sua incoerente decisão...
Não sabes que a poesia poderia nos aproximar,
Não sabes que quando tudo se findar...
Ainda assim, teremos muito que aprender...


Mas nossos passos já foram dados,
E eu espero que essa derrota de hoje
Seja a vitória de amanhã.
Mas por favor, acorde, a vida nos espera...






Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.