Acorrento-me a sua lembrança
Persigo sua sombra pelo jardim
Recolho-me em sonhos....
Ouço pela milésima vez a mesma melodia.


Liberto-me do medo...
Banho-me do orvalho
E me visto da nudez da lua
Passeio pelas nuvens
Preciso vê-la...


Minha Alma solitária, divaga!
Porquê quando chove
As estrelas se escondem...
E as janelas me prendem....


Queria voar por entre os pingos
Ter asas como a poesia...
Ter coragem de acreditar
Nas  lendas
Quebrar as correntes...


Torrentes de sentimentos
Que nos fazem sorrir e chorar.
No espelho do infinito
Quando meus olhos
Em seus olhos vão repousar!


Autora:
Liê...
paz e luz...
carinho.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.