Não sei quantas poesias farei
Para redescobrir meu caminho.
Não sei se é somente loucura de poeta,
Essa certeza, ou incerteza de vidas passadas...
Mas preciso da cumplicidade dos anjos
Ou até mesmo da incoerência dos sonhadores...


Não pode ser uma existência somente...
Não pode ser desculpa para as limitações
Não posso ceder à dor,
Nem me corromper pelas falas


Não quero ser pretensiosa
Nem merecedora de créditos
Que ainda não conquistei...
Débitos são para serem pagos


Vidas são para serem mortas
Mortes são sempre para viver outras vidas...
Se não o porquê da poesia?
Dessa maresia, que às vezes nos toma...


Porque lutar, aprender, para um fim sem volta.
Fico quieta e deixo meu coração me dizer,
Uma lágrima e um sorriso,
Mesmo na dura lida,
Nas folhas que caem no outono.


Mesmo que me discorra por horas da lógica cientifica
Uma lágrima e um sorriso,
Do acaso nasceu toda a inteligência
Uma lágrima e um sorriso,


Se me iludo, se confundo, e sou simplória,
O que há para se perder?
Sei que quando meu tempo chegar,
Morrerei para viver...


Liê Ribeiro
paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!