Nunca, nunca perca esse sorriso,
As lágrimas são necessárias
Para limpar nossa alma.
Mas nunca perca do seu rosto, o sorriso...



Não feche a porta de o seu pensar
Deixa a vida nela entrar...
Aprender dói em todos,
Essa forma só sua de ser...


E eu tenho vontade de gritar,
Deixa-o livre para ser ele mesmo
Ainda que o que  ele é...
Não seja aquilo que está prescrito
No manual do ser humano...


Rasguem o preconceito
Não enterrem o sujeito
Para ressuscitarem o objeto...
De perto quem não tem defeito?
De longe toda sombra é igual...


Detesto a seletividade
A regra que precisa ser para todos
Linha após linha.
Vida após vida, pura utopia...

Não vamos gastar nosso tempo
Tentando provar o obvio...
Adoro quando ele canta


Com sua fonética toda torta.
Adoro quando fazemos dueto
E seus olhos brilham
E eu nos acho dois peixes fora d’água.


Mas eu adoro quando do nada
Ele me pede um abraço
E me beija e saí correndo
Afinal precisa, voltar para seu espaço...


Na verdade o que sempre
Guardarei em mim...
E levarei para qualquer lugar que eu for
Esse seu lindo sorriso, sol para minha retina!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.