Quando eu me vi só com você,
Disseram-me
Vá, deixe-o numa instituição
Você já cuidou dele por treze anos...

Vá viver sua vida,
Vá ser alguém na vida,
Ele te limita,
Ele requer vinte quatro horas de você
Você precisa respirar,
Amar de novo...


Como amputar de mim,
A melhor parte?
Que levo do meu fracasso.
Como abrir mão de alguém
Que me limita sim,
Mas que vive comigo cada manhã.


Numa esperança
Que somente quem ama sente...
Como deixar de amar?
Alguém que eu tanto esperei...


E que pelo seus desígnios
Veio resgatar suas dividas
Como negar que eu sabia,
E que por isso vivemos juntos...


Não vou negar
Que muitas vezes
O cansaço me toma
E que há algumas perguntas
Ainda por responder...


Sei que um dia teremos sim
Que nos separar
E eu espero ter a dádiva
De ser num breve instante,
Para vivermos toda eternidade.


E quem sabe terei a chance
De viver essa vida
Que as pessoas que não sabem amar
Propuseram-me...


Mas se não for pedir muito
Que o meu menino
Também possa viver
A vida que nessa
Ele teve que ceder...


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

  1. Seu menino é nosso, distribuindo sorrisos, andando de mãos dadas, mostrando segurança, nada temendo, nem olhando prá trás.
    Tantas vidas ainda por vir, tantas possibilidades, e peçamos que ele continue essa pessoa doce que é aqui, e que nem o autismo conseguiu esconder.

    ResponderExcluir
  2. Olá Liê,
    Já pensou no motivo pelo qual você sempre necessita dizer ao final:
    "mãe de um rapaz autista"
    Lí diversos dos seus poemas, e noto que, na maioria, este adendo se faz presente.
    Pura curiosodade....

    ResponderExcluir
  3. Caro amigo, é para reforçar as pessoas o quanto me orgulho do meu filho, e que nunca tentei esconder que meu filho é portador de autismo...
    você sabe o que é autismo?
    É alguém muito especial que veio nesse mundo para vencer o que a genética diz ser para toda vida... além da várias terapias , a maior é o amor...
    paz e luz
    Liê e Gabi autista.

    ResponderExcluir
  4. Eu sei minha cara, se posso chamar, amiga.
    Sei, e respeito.
    O autismo tem se feito presente em diversos meios de comunicação. Você deve lembrar que até em novela, ele se fez presente. De forma positiva, e vencedora. É a sua cruz. Nota-se que você a conduz com muito garbo.
    Continue criando os seus poemas, são parte da sua história...
    paz, luz e alegria para vocês...

    ResponderExcluir
  5. Claro que pode sempre.... meu amigo
    muito obrigada...
    Me deixa muito feliz você ler e gostar,meu Meu coração se alegra, pois saiba que muitas vezes se entristece...
    paz e luz, muita alegria...
    abs
    Liê e Gabi austista.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!