Você disse que eles não me acusariam
Que culpa,
Eu tenho de querer a cor cinza!
Enquanto todos preferem a cor azul.


A luta e o lutador
Alguém tem que perder
Nocaute preciso no preconceito
Conceitos que devemos vestir.


O que eu sou está no lúdico
Meu amor não tem preço
Condenem-me,
Mas não tentem me transformar
Em algo igual á vocês...


O porto e a solidão,
Preciso caminhar
Meu próprio caminho...
Seja ele distante, seja ele aqui.


Você disse que eu voltaria um dia
Com todas as chances de ser feliz
Mas esse não é meu lugar
Minha casa é sem porta
Minha vida é um enigma,
Quem me seguirá?


Você me prometeu
Um cantinho em seu coração,
Não posso vencer sem amor...
Ninguém deveria viver
Somente de horas, ou minutos...


Não sei o que farei
Para compreender
Que tudo que você me disse
Um dia realmente irei viver,


Mas enquanto estivermos juntos
Segure minha mão
Confie em meu amor sem rótulos
E ame-me assim como eu sou!


Autora
Liê Ribeiro
mãe de um rapaz autista!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.