Eles dizem que somos loucos...
Eles cospem em nossa cara...
Porque continuamos então?
Porque insistimos em lutar?
Pura prova de amor
Essa persistência diária


Eles nos esquecem
Num canto qualquer do mundo.
Mas seguimos andando
Passos firme na direção do sempre...


Essa roda da vida,
Essa dor roubada
Esse limpar o suor misturado a lágrima.
Esse acordar todo dia, cada dia
Em busca da sua felicidade


Pouca coisa,
Uma bolacha recheada.
Um copo de suco gelado,
Uma musica tocando em sua alma...


Tantos eu, perdidos no acaso,
Se já fomos fogo, um dia; seremos água.
Se já fomos terra, um dia; seremos ar...
Não há lógica que nos defina...


Por isso a rima,
Por isso esse olhar de admiração,
Por isso nossas vidas olvidadas
Vão se completando em nós...


E o que ficará?
Talvez essas linhas...
Amareladas pelo tempo
Nossa história, nem alegre nem triste,
Revelada na poesia!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!