Há lagrimas
Que são acidas
Lagrimas de magoas,
Lagrimas de dor,
Lagrimas de perda...

Lágrimas de medo.
Mas há lágrimas
De emoção.
Você não imagina


Quantas batidas
Meu coração deu...
Ao ver-te recitando
Um trecho de um poema

Que escrevi para você.
Que busquei lá dentro
Num lugar que só eu e você sabemos
Que existe...

Essas lágrimas
Que se estenderam
Por todas as pessoas
Foi como lavar as almas.

Há sim uma luz
No fim do túnel
Quando o amamos
Assim como és...

Não posso confessar
Que esperei por esse momento
Mas se ele estava no nosso
Caderninho de resgate


Grata, imensamente
Por esse instante mágico
Onde seu sorriso misturou-se
As minhas lágrimas.


Vi que você se assustou...
Mas saiba que foi de pura alegria
Pois mesmo com todas as suas dificuldades
Você é um bálsamo para minha vida.

Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

  1. Lágrimas...
    Lágrimas...
    Lavando almas, recontando histórias, estreitando laços...
    parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Sim, cada reencontro,comoum filme, quantos passos dados, quantos ainda por dar.

    de nada
    Liê e Gabi autista

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!