Pensamentos vão ao vento

Quando vou descansar meus olhos
Meu corpo, dessa preocupação?
Visto a labuta, calço os passos...
[Mas eu preferia, deitar meus sonhos.]


Será que eu sei do que falo?
Será que é real, esse querer mortal?
Queres rimas fáceis?
Nenhuma época da vida,


Tivemos  facilidades, pois cansa pensar...
Cansa imaginar...
Cansa não ver o mundo melhorar...
Pensamentos vão ao vento,


Arrebento o peito com sentimentos
Que vem e vão, como tempestades.
Tirei a mascara, me vi no espelho,
Quem tu és? Perguntei,
Como se atreves a me mostrar


Assim, cara lavada, olheiras...
Onde está a criança: onde está o sorriso?
Vão-me longe os dias idos,
Que me importa que me julgues
Que me importa a maquiagem escorrida
O palhaço de lágrimas escondidas...


O que eu sei, é que nada sei!
Que me libertei da dor tê-lo ao meu lado
Mesmo que distantes nós aprendemos
Com o cuidado de um estrategista nos aproximamos.

Não se preocupe, a louca aqui é sua mãe!
Um dia tudo que pensei, voltará como folha solta!
Eu sei e você sabe,
E todos se enganam ao nosso respeito...
Mas não se preocupe a louca aqui é sua mãe.


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.