Eu te procurei
A vida inteira
Procurei você
Em outros olhares


Em outras roupagens
Mas você não estava lá...
Eu procurei você em mim mesma,

Os traços, as linhas, as manias


Mas você não estava neles...
Havia algo de mistério, de indiferença.
Procurei você pelas ruas
Em algum momento só nosso.
Enganei-me,
Você também não estava ali.
Mas você nem ao menos estava em você,
Você estava na musica que ouvia


Estava num deserto de existir.
Que nunca soubemos atravessar.
Todo Oasis, numa miragem inalcançável
Para quem não tem resistência.


Eu te procurei nas fotos que tirei
Você também não estava,
Havia algo de distante, de horizonte
Que quanto mais andamos,


Menos perto estamos...
Então deixei de procurar-te...
Deixei que a vida nos aproximasse
Que o dia a dia, nos fizesse mais próximos

Relaxei, e te esperei na velha estação do destino.
Talvez você me procurasse,
Por detrás daquela pessoa prepotente
E quando tirei a casca de forte e chorei.

Seu olhar me achou, seu carinho aflorou.
E como nada é normal, em nós
Não há desespero, nem angustia
Por alguém que nunca foi embora,
Mas que também  nunca esteve

Dentro do contexto
De uma tola normalidade
Tu fazes parte de mim
Como eu faço parte de ti
E não fui eu que te encontrei
Foi você que me achou!

Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!