O que tu fazes nesse momento?
O compartilhar escasseou,
As pessoas correm em volta dos mesmos passos.
O mundo agonizante


Vê derreter sua esperança de sobreviver...
Essas extintas horas,
A! Amor, o quanto ele poderia mudar
Nossa história...


O amor é tudo é quase a cura.
O amor nos faz sobreviventes do tempo.
Que sem nos esperar, caminha...
Triste humanidade desumana


Debate-se em lutas diárias...
Eu só queria repousar no seu colo.
Derramar flores pelo caminho
Recitar um poema que acabei de fazer

Segurar firme a sua mão
E não me sentir tão só...
Como explicar?

Que mesmo tendo, não tenho.


Não possuímos nada,
Nem a nós mesmos...
Vasculho vestígios do que já vivi,
Parece filme a ser restaurado


Algumas partes se consomem
No mofo da realidade
A maldita noite que me faz
Sofrer de crise de solidão.


Todas as mazelas vêm
Nessa hora de insônia...
Mas apago a luz
Apago minha mente


Fecho a minha dor
Dentro de mim...
E vou dormir...
Pois o remediável
Irremediável está...
Dane-se a realidade
Vou dormir e sonhar!


Autora
Liê Ribeiro
paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.