Tenho chegado ao ponto do amadurecimento
Onde todas as poeiras deviam se assentar
Mas há tantas aventuras em minha alma
Algumas vividas, outras por viver...


O corpo se modifica, cada dia um pouco mais
Todas as energias agora concentradas...
Mas ainda corro da mesmice.
Ainda busco o raiar do sol na soleira do meu pensar


Amo as pequenas nuances do brilho de um olhar...
Tenho aportado em portos desconhecidos
Mas a conquista de um dia, vale toda uma vida
Não temo navegar me aventurar em seu sonho...


Não, a idade ainda não me derrotou...
Sou dura na queda,
Ainda a menina flutua em meu interior
Debate-se, sai de mim...


E dança, canta, brinca de viver...
Que mal há?
Em querer acreditar
Que o que vivemos,


Nada nem ninguém poderá nos tirar
Por isso me lanço ao mar
Por isso creio no amanhã
Por isso comemoro cada linha traçada


Em meu rosto...
Não posso restaurar o passado
Não posso reinventar formulas milagrosas
Que me transformem de novo naquela menina...



Mas me sinto, aqui, aí, na poesia!
Tão velha o quanto eu.
Tão desejosa de paz como eu...
Mas estou feliz...


Autora
Liê Ribeiro
Completando 47 anos 17 fevereiro...

Comentários

  1. Parabéns!!!
    Você está linda, e sempre uma menina!
    A poesia não deve contar o tempo, mas apenas o amor.
    Um dia um cavaleiro,uma cigana, uma rainha, um soldado, uma escritora, ou uma pessoa qualquer. São vidas renovadas, partindo do zero, e sempre existindo.
    Feliz aniversário Dona Poeta...

    ResponderExcluir
  2. Grata, luto para não deixar jamais a energia e sonhos da menina perecem, sim é a eternidade de nossas vidas, é a infinita possibilidade de ser feliz...
    Quem sabe um dia você tenha coragem e se revele anônimo...

    Abraço
    Liê

    ResponderExcluir
  3. Lindo!! Liê suas poesias sempre nos falam a alma...
    beijos
    Lena

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, muitas alegrias e poesias ainda estão por vir e que a encontre assim: alegre, feliz e de bem com a vida.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!