Todos querem respostas
E quase todas elas
Estão dentro de nós...
Todos querem a felicidade duradoura

Mas a vida é breve, às horas são breves.
Todos querem formulas milagrosas
Mas cada célula, todos os genes,
Mesmo com defeito, não formam nossa alma.

É nela que estão escondidos
Todos os paradigmas.
E o mistério da existência, e da extinção,
Da continuidade da criatura.

A eternidade é uma porta estreita?
A eternidade é uma estrada pedregosa,
Uma meta dos tolos...
Quem prova?

Para os materialistas tudo acaba
Com a fim da matéria,
Com a falência dos órgãos,
Que sentido teria?

Precisamos do futuro,
Precisamos da redenção,
Do perdão, da dissolução dos medos.
Queria que ao menos

Que o meu dom
Voasse alem de mim...
Sobrevivesse a minha derrocada.
Queria que meu filho tivesse
Somente mais uma chance...

Ou todas as chances...
Que me pedisse um sorvete
Que me inquirisse sobre os dilemas da vida.
Mesmo que fosse

Por mais uma existência apenas...
Loucura? E daí?
Preciso diluir minha dor...
Preciso eu mesma responder minhas duvidas.

Ter esperança, escrever bobagens
O que me importa o que pensam!
Eu creio na vida após morte!


Autora
Liê Ribeiro
mãe de um rapaz autista.
Paz e luz

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!