Musica de Sade Adu me inspirou ao Poema!













Vem! preciso acreditar nesse dia.
Que passa sem maiores novidades
Mas eu quero a tempestade do pensar
Aquele despertar, pele, pêlos e carne...



Hoje desenho sobre mim,
Rabiscos de sombras
Que formam imagens.
Será real?
Vestir o irreal e sonhar?
Vem! Preciso daquele chá gelado.



Algum beijo roubado...
Afinal pulsa em mim
A dita cuja vida,
Mas que incoerência...
Não sei escrever sobre fatos



Falho ao lembrar momentos
Somente aqueles que ficaram
Por teimosia em minha alma...
Leio o escrito, quanta bobagem.

Mas são os meus sentimentos
Os mais obscuros
E os mais claros...
Água e boca seca.
Deserto e Oasis de mirar...

É por mim que escrevo
É pelo ser que ainda resta...
Nessa carcaça de pedra...
Esqueça, tudo em mim fervilha.



Não falo mentiras
Mas oculto  verdades
Não promulgo soluções
Mas Persigo respostas...



Quais?
O mar me dirá
O destino me mostrará
O que falta em mim
Talvez um tempo só meu!



Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz...




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!