Dizem que você é o comportado.
E que  eu sou a espoleta,
Que você é que me conserta.
Mal sabem o caminho que percorremos
Quantas vezes eu achei
Que tinha te perdido para o autismo.

Seus olhos... Longe
Seus gestos repetidos
Sua distancia oceânica.
Sua ilha em meio ao mar do autismo.


Mal sabem quantas noites chorei,
Quantos dias
Eu acordei querendo esquecer.
Que teria que enfrentar a lida.


Dizem que eu é que preciso de médico
Pois minha hiperatividade
Faz-me enjoar rápido dos diálogos,
Que se analisarmos bem...


Pouco alcança os nossos corações.
Dizem que a diferente sou eu,
Isso é um elogio para um poeta
A transparência de uma alma errante.


Sim, vencemos a distância.
Criei meu barco interno
Remei até sua ilha e vi...
Que não estavas sozinho


Havia uma pessoa escondida em seu olhar.
Apresentei-me em frases curtas,
Segurei em teu leme...
E lá fomos nós, eu com minha hiperatividade


Você com seu autismo...
Atravessamos o mar desconhecido e suas ondas.
Você não deixou de ser você,
Mas aprendemos que o amor
É o respeito pela diferença.


Aprendemos que podemos contar um com outro.
Que amor não se define
Se sente e se aprende
A cultivar no dia a dia...


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

  1. ei minha amiga espoleta,
    sua hiperatividade dá mais ritmo a vida, que seria um marasmo se não fosse o seu jeito de ser.
    Seja você, seja feliz e continue poeta.
    bjs
    Claudia

    ResponderExcluir
  2. AAAA! seria impossivel mudar esse meu lado,
    muitas coisas precisamos reciclar a cada ciclo de vida, mas minha irreverencia é impossivel, grata.
    bjs
    Liê

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!