Eu precisava
Escrever sentimentos
Diferentes,
Anjos e monstros
Sempre me visitaram.

Eu precisava
Colocar tudo
No seu devido lugar.
Vasos e flores.
Eu precisava
Namorar-te a luz do luar,


Rebuscar limites
Jamais ultrapassados.
E oferecer-te
Em noite de céu forrado de estrelas,


Um amor jamais sentido outrora.
Eu precisava ter tempo
O momento exato para sonhar...
Eu precisava ser eu mesma


Nas entrelinhas desse papel.
Um pingo e toda tempestade
De emoções jamais vividas,
Eu precisava segurar em tuas mãos


E caminhar sem medo pela vida...
Dura estrada de ida e de vinda.
O sol castiga em pleno outono,
E o frio se aqueceu nos trópicos.


Eu precisava de uma lareira
De um braço quente
Que me amparasse.
E eu adormecesse sem nada pensar.


Eu precisava crescer,
Em direção a minha própria imagem
Refletida no espelho.
Eu precisava me reconhecer


Em todas as linhas traçadas pelo destino.
Algumas frágeis como uma pétala,
Outras fortes como o tronco de uma árvore.
Eu precisava aquiescer meu coração


Deitar meu corpo na relva,
Não me preocupar com amanhã
Na verdade eu precisava acordar
De preferência ao seu lado.




Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz...

Comentários

  1. Deitados sobre o círculo de pedras,
    de olhos fechados, sentindo as brumas nublarem gotículas em nossos cílios, até que ficassem tão pesados que não tentássemos mais abri-los.
    De mãos dadas, subindo ao Thor, numa caminhada além do real, apenas nossas almas seguiam.
    O cheiro das maçãs, a vida livre dos bosques, e nós...apenas nós...e um mundo por trás.
    E, assim mais uma vez se fechou a cortina entre os dois mundos, a lua crescente ficou mais azul e os dragões dos braceletes dourados nos mostraram que o elo de amor nunca se quebrará!

    ResponderExcluir
  2. No Mundo das fadas, dos povos pequenos, da magia, de uma vida que jamais se findará, como os carvalhos, como os lagos, como os dois seres, que um dia como mágica se reencontrarão, quando as brumas se dissiparem... duas almas conhecidas das dores abrandadas, e no poço das visões verão finalmente a paz de um amor eterno.
    Liê

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!