Tenho saudade dos amigos
Que nunca tive
Saudade da verdade
Que nunca dizemos
Que cruel realidade


A mentira virou regra
Ou será que sempre foi?
Estúpida poetisa,
Revisa teus conceitos
Revirar sentimentos do passado
O que lhe trará de bom?

Filosoficamente falando
O mundo mudou
E as pessoas pioraram seus comportamentos.
E sumariamente condenam os que amam.

Tenho saudade de um tempo
Que ainda não vivi...
Pirilampos e aquele
Cheirinho de café na varanda

Tenho saudade das pessoas
Que foram se apagando
Da minha memória
Mas nunca sairão do meu coração.

Quem dera pudéssemos
Deixar o coração comandar o mundo
O cérebro é demasiadamente frio
E se pensarmos bem
Somente um ponderar poético
Devia nos conduzir...


Mas tenho saudade
Da poesia que ainda não escrevi
Assim sendo, vou rascunhando meu sentir.
Um dia alguém o decifrara, quem sabe!




Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

  1. "quando o dia se tornar noite
    aguente firme...hold on...
    quando vc pensa que já teve o suficiente da vida, aguente firme...hold on..."
    E, as poesias que nunca foram escritas possuirão ainda o fio de esperança, de tudo o que ainda se pode sentir e viver...
    Então, continuemos assim, minha poeta: hold on...

    ResponderExcluir
  2. É verdade anônimo, as formas as vezes são somente sombras e as pessoas são aparentemente felizes,aparentemente realizadas, mas sempre haverá o amanhã, e o completar das horas será o futuro, as vezes temo que ele nunca chegue, e a poesia fique inacabada... como nossas vidas...
    paz e luz...

    ResponderExcluir
  3. oiii

    gostei mto dos seus poemas... tbm escrevo poemas...

    e eu tnho um irmão de 15 anos q é autista estou te seguindo bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Paty que bom que está aqui, você tem algum lugar onde eu possa ler seus poemas me manda ok?
    bjs
    Liê e Gabi autista

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!