Você repousa a cabeça
No meu colo,
E a vida nos espera lá fora.
Tudo parece quieto...
Sinto a brisa fria
Mas há um céu azul
Que nos convida a sonhar.


Preciso ganhar a vida
Mas a vida ganha de mim.
Açoito as horas
Para ver se há sentido
Nesse continuar...


Como não acreditar
Se ainda há pássaros revoando
E você em paz repousa,
Dorme e ao mesmo tempo sorri.



São alguns minutos
Mas são profundos,
E a luta jamais será em vão.
Nada do acaso nos conforta.


Somente a lei do amor
Que talvez tenhamos escrito nas estrelas,
Talvez tenhamos conquistado
A cada dia, mesmo os mais difíceis...


Você acorda
E me olha,
Passa a mão em meu rosto
E se levanta, corre para quintal,
Olha o sol, repete alguma frase desconexa
O que importa?


É a sua linguagem...
É seu estado pessoal de estar aqui...
É a minha forma de compreender-te assim,
Mas há o pão de cada dia, á ganhar.
Há uma luz que temos que buscar


Em meio à escuridão...
Pois nossa história não tem ponto,
Nem reticência, nem vírgula,
Vivemos da interrogação constante


De como será o nosso amanhã
Mas em quanto ele não chega.
Vivamos o hoje, com esse céu azul, sol, á musica
E seu sorriso enfeitando o meu dia!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.