Nossa rota
Algo que não conhecíamos
Foi assim
Quase uma imposição


As manhãs são de lida
Quantas horas são?
E os minutos entoados
Como se fossem
Mais importantes.
E eu vivo a querer compreender


Quem habita
Dentro do seu ser
Que demora a abrir o porão...
Mas nossa rota
Uma mão somente de ida


Não podemos retornar
O ontem nunca volta...
Você canta por fuga
Acha-se em cada som...
Seria mais fácil


Do que ouvir as mesmas frases
Uma dura interação...
Mas a vida se embaralha
Em nossa rotina
Quase sempre igual.
Você adormece


Acariciando nossa cachorrinha
E ela adormece em seu colo
E eu choro,
Por esse amor puro sem cobrança.
Você a protege, para mim é poesia.


Ela o entende...
Essa é a mais linda imagem
Que meus olhos poderiam ver.
À noite caí,
E sua mão adormecida


Caí no dorso da Mel...
Essa é a nossa paz
Esse é o nosso mundo
Carregado de esperança


Quem sabe em sonho
Vocês dois corram
Por uma planície de amor
Seu sorriso enfeita minha vida


Não sei como será o futuro,
O instante é o que podemos viver.
Nossa rota, essa roda continua
Que nos envolve, todo dia a cada dia.
Num eterno aprender!


Autora
Liê Ribeiro
mãe de um rapaz autista
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.