Ontem me despi da roupa velha,
Ontem rasguei todas as cartas amareladas
Ontem refiz minha trajetória
Perdoa, mas quero levar-te comigo.
Aonde ninguém ainda chegou...

Ontem, joguei fora os meus velhos sentimentos
Ontem queimei os restos de papeis
Que não lerei mais...
Chega de favores, chega de piedades.


Ontem, calcei a minha sandália esfarrapada
Quantas caminhadas eu fiz com ela.
Quantas pedras eu pisei!
Quantos calos eu criei.


Para tentar chegar até aqui...
Mas ontem, eu decidi...
Que passarei por um caminho diferente
Em meio às areias movediças do meu eu...


Se quiseres,
Siga meus passos
Eu vou para qualquer lugar
Onde Deus possa me ouvir.


Ontem, eu parei de orar em vão.
Ontem, eu cavei minhas próprias dores
Para expeli-las, como larvas quentes
A queimar minha alma...


Ontem, porque somente ontem?
Eu precisei despertar,
E ouvir a tua voz celeste
Em cada gota de chuva
Que batia em minha face...


Não sei , mas se há uma paz...
Em algum lugar que eu não conheça
Eu tenho que buscá-la...
No ontem que ainda não vivi... Preciso!


Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!