Reflexão!




Qual o efeito
De um momento
De paz?
Em nossa dura batalha.


Talvez essa
Que nos preparamos
Para adormecer
E imaginar
Que sonharemos.


Qual o efeito
De uma luta
Que jamais tem fim
Num corpo que envelhecerá
Irremediavelmente...


Talvez marcas
Que jamais nos abandonará
Seqüelas irreversíveis
Que carregaremos sucessivamente.


Qual o efeito
Da palavra? Quando fria.
Corta...
Assim como uma navalha afiada.

Talvez seja
A consciência que nos cobra
O tempo que nunca pára
Nem espera que acordemos.



Qual efeito
Das velhas lembranças?
Nada tu lembrarás? Será?
O ninar, o medo, a ternura.
Nada tu lembrarás?


Quem apagou de ti?
Todo vestígio
De uma vida em formação...
A existência a passar por você
Como água a vazar
Pela torneira do destino...


Será, tenha sido eu?
Será tenha sido somente?
Uma falha genética
E há ciência um dia responderá.

Qual o efeito
De toda dor já vencida
Dentro de nós?
Eu não sei...

Nem me lembro
Da quantidade de lágrimas
Escondidas que eu derramei.
Quantas perguntas.

A mim mesma eu fiz...
Querendo entender
Como aprenderia a ser
Uma pessoa melhor


Seria isso possível?
Sem amargar meu paladar.
Sem culpar o acaso.
Sem tornar-te um peso...

Como olhar meu semelhante?
Entendendo seu limite.
Minha própria limitação.
A! Você é tão doce...


E o efeito do seu existir
Na minha vida?
É o efeito borboleta
Que livre do casulo
Voará, voaremos, seremos livres
Um dia! Eu e você!




Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!