Tolos seres!





Tudo tolo
Tudo eternamente tolo
Enevoa meu olhar
Essas coisas tolas
De mal falar
De mal querer
De sempre duvidar.
Tolo
Tudo imensamente tolo
Prefiro lembrar
O que amei,
Desejo esquecer o que odiei.
Há um amor em minha alma
Que não se enquadra
As regras criadas pelos tolos...
Tudo é tolo
Irremediavelmente tolo...
Porque nada perdura
Sem exata medida do amor
Um amor livre de todos os dogmas.
Quem viverá de verdade?
Tudo é breve
Tudo é limitado
Tolos moralistas
Não há lógica em colocar cercas
Em volta do amor
Assim ele morre...
O amor é cheio de pecados
Com sabor de maçã...
O amor não é uma brisa leve
É um vendaval a agitar nosso espírito.
E a lua já se pôs
Por detrás das nuvens
Em mim o tempo foge
À noite nas plêiades também...
Não serei o que queres
Não serei a tola poetisa
Que se escondeu do amor

Somente porque os tolos assim querem!




Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!