Queria lhe oferecer
Um poema definitivo
Queria que você soubesse
De mim,


Um pouco do que penso
Mas há um silencio
A nossa volta...
O diálogo de uma só pessoa.


Um cansaço de pensar e planejar.
E lá vem a vida nos castigar.
Nossa história é de poucas palavras
Você um livro em branco


A tanto por preenchê-lo.
O meu passado!
Queria lhe contar
Das noites infindas


Ver seu espanto
Por eu ter vivido
Tantas aventuras e sonhos...
Mas nossos dias


São de silencio
O diálogo de uma só pessoa.
Mas aqui estamos nós
Na escuridão do quarto


Ouvindo melodias
Que fizeram parte da minha adolescência
E você sorri e atento, parece gostar.
Então te contarei de mim


Através das musicas que embalaram
Minha juventude
E se eu pudesse te colocaria
Nessa retrospectiva


Para mostra-lhe como havia
Uma juventude sonhadora e romântica
Que esperava o paquera na esquina
Só para vê-lo passar


Numa sensação de eternidade e dor.
Mas traduzindo meus sentimentos
O amor é a poção mágica

Que nos faz emergir da solidão


E dançar, cantar, sonhar!
É o melhor das nossas existências
Mesmo que á realidade um dia nos visite
E tente descolorir nosso arco íris.



Mas se provamos de um grande amor.
Terá valido a pena viver...
Sei que um dia tu amaste alguém
Sinto em teu olhar, em teu jeito...


Então mesmo não compreendendo
O que te passo nesse instante
Entenda que na pluralidade das existências.
O teu amor tu reencontrarás...
Espero poder vê-lo sorri nesse momento.
E finalmente ser feliz...




Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.


------------------


Se você pudesse
Dizer-me o que sente
O que diria?
A vida num flashback


Cortaram seus circuitos
E vives pela simplicidade
Do acordar, comer, dormir.
Tudo tão reduzido


Mas há um ser eterno
Dentro de você
Que aportou nesse corpo
E espera o momento da redenção...


Quando te ouço cantando
Sinto que há uma fenda
Em teu olhar e teu coração
E uma luz tênue sai...


E eu paro de chorar
Pois há muito parei de sofrer
Por sua pessoa diferente
Tolice cobrar-te ser outro personagem



Que como mágica sairia da coxia do destino
E se revelaria no palco da vida
A se fosse fácil assim!
Vejo o quanto te esforças


Para compreender esse dialeto
De cobranças que te fazem.
Mas como não há limites para o amor.
E nas noites mais tristes


Teu carinho me resgatou...
E aprendemos a nos amar sem palavras
Espero que na próxima nuvem que passar
Lá sentemos e finalmente
Um grande diálogo nós tenhamos... Espero!




Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!