Eu escrevi um bilhetinho
Para ti...
Soltei ao vento
Um dia talvez você leia...

Escreveria histórias lindas
A nossa tão recheada de altos e baixos
Duro aprendizado, seu e meu...
Mas se me permitires.

Esse poema não será uma confissão...
Sei que você prefere melodias
Fico imaginando
O que elas significam para você...

Queria ter o poder de remexer
Em seus mistérios
Revelar o que esconde atrás desse olhar...
Mas deixa o quieto.

Deve estar bem guardado
Toda sabedoria divina
Que com certeza
Permitirá que você retorne.

Quem dera encontre o bilhete
Em cima daquela nuvem
E saibas
Que era somente um lembrete.
De como eu não suportaria
Se de mim tu esqueceste
Mas o que tem que ser será.


Não devo sofrer antecipado
Não devo recalcar sentimentos
Que foram sedimentados.
Em longas horas, onde


Preso em seu quarto
Tu se esquecias de si mesmo
E eu na minha incapacidade
De contornar seus sofrimentos


Ia assistindo tua partida.
Mas a alegria irmã prima da tristeza
Volta nesses dias de reflexão,
Seu sorriso estampado em minha retina


Que bom vê-lo feliz...
Mesmo não podendo decifrar
De onde ela vem
Mesmo assim, é lindo como o sol...


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.
Paz e luz.

Comentários

  1. Fiquei muito emocionada! Eu me vi nas tuas palavras! Também sinto que a música é o modo de minha filha compreender este mundo pra ela tão complexo! E muitas vezes canto pra ela! Adorei tudo o que encontrei aqui! O olhar de teu filho na foto é o mesmo olhar de minha filha! bjs!bjs!bjs!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.