Eu preciso dessas horas quietas
Eu preciso desse silencio interior
Mas tudo em mim é barulho
Tudo em mim ressoa como um sino.

Vozes e sons
Que me inquirem a loucura
Contenho-me...
Esqueço o presente



Lembro-me nitidamente
De detalhes passados...
Rostos e sombras me interessam
Sigo-as para encontrar-me.



Em algum lugar que não seja
 cruel como a sociedade que vivemos.
E quando o sol despertar
Estarei eu na lida, na luta



Um pouco de sonho caia-me bem
Aquele instante que os olhos se fecham
E flashes de felicidade vêm.
Raros momentos...
Em que nos permitimos doar e receber.



Eu preciso das palavras
Elas me tiram do ostracismo
Elas me vestem de poesia
Pois sem elas eu nada seria.



Um par de olhos sem ver
Um par de mãos sem valia
Um par de pés sem pegadas
Uma alma vazia de sentires, todos.
Mesmo os que machucam
Mesmo os que nos fazem sofrer



Sentir é mais que não sentir
Mesmo nas dores mais profundas
Sempre haverá uma lição a aprender...
Eu preciso aprender para viver
Preciso, preciso...



Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.