Poema ao amor


Suas lágrimas
Caem como
Tempestade
Em meu coração
Penso em tantos pensares
A felicidade
Que nos engana
Parece uma miragem.
Nossos pés tão cansados
De tantos andares.
O que eu sinto
Somente a ti eu revelo
Ventos e ventania
Seus sonhos, sonhares.
De ti nada esquecerei
Quantos mares nós atravessamos
Quantas noites
Imaginando como viver
Um grande amor
Quantas perguntas
Sem respostas
E cá estamos nós
Versejando as palavras
Para descrever as sensações, todas.
Deusa, o amor dói..
Arde a pele
Queima a alma
O amor vence o momento
Todo vazio outrora sentido
Somente o amor
Á conduzir-nos nesse labirinto.
E entre todos os frios olhares
Achei os teus tão carentes de enxergar
O caminho por onde veria o amor,
Na verdade ele estava escondido
Nas suas fantasias,
Nas suas mais antigas existências
Nas Brumas abertas
Dos nossos corações!


Autora
Liê Ribeiro
luz e amor.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.