Eu vou te dizer
O que sinto filho.
Eu sinto um medo profundo
Nada poderia tirar do seu rosto
Esse sorriso.

Eu tenho que esquecer o que penso
Eu tenho que viver o hoje
Mas o futuro bate constantemente
Em nossa janela
E me avisa que estou envelhecendo.
Que tu cresces sem crescer por dentro

E o meu sorriso molhasse de lagrimas
E eu me refugio nas palavras
Enquanto você se refugia na musica.
E o tempo nos persegue
Força-nos a seguir, sempre seguir.

Pés calejados, sonhos replantados.
Mas te confesso filho
Que quanto mais caminho
Mas desejo descansar dos meus passos.

Quanto mais penso
Mas desejaria não pensar...
Deixar as ondas do mar nos levar,
Deixar a vida envelhecer sem dores
Deixar a nossa história relatada em poemas.

É o que tenho para te oferecer
Meu interior de poeta
Meus sentimentos de amor profundo
Meu pedido de perdão por tantas falhas.

Mas já é hora de irmos dormir
As luzes precisam ser apagadas
Nossa vida reinventada
Mas deixemos para amanhã

Hoje já cantamos, dançamos.
Passamos pelo dia sem maiores problemas
Sim, oremos aos anjos, na paz dos crédulos.
Você se ajeita em seu espaço,
A vida se aquieta dentro nós.
As cortinas se fecham na escuridão da noite.
O amanhã chegará, assim espero!




Autora
Liê Ribeiro
Mãe do Gabriel/Gabi

Comentários

  1. Oi Lie. Esse poema me fez chorar. Você coloca em palavras tudo o que sentimos. Obrigada. Elizângela - mãe do Matheus 6 anos.

    ResponderExcluir
  2. Lindo poema, e lembre-se que o menino tb vive em mim, sempre viverá, e se depender de mim nunca ficará só.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.