Porque às vezes
Desejamos
Remexer em nosso passado
De repente
Uma foto
E a lágrima que caí.


Meu neném
Hoje é um homem
Criança em sua inocência mental.
Mal me lembro de todas as passagens
Dessa nossa vida juntos...


O tempo passa tão rápido,
Apaga alguns vestígios,
Mas o grande aprendizado fica.
Tempestades e dias de sol
Sofrimento e alegria

Esse é o nosso estágio nesse planeta
Quase te perdi
Quase me perdi
Quase deixei tudo como estava.


O que eu podia fazer
O destino aprontou sua armadilha
E lá estávamos nós, presos nela.
Mas havia em nós um amor profundo
A chave para libertar-nos.


E como um farol após um naufrágio
Uma luz repentina me vez te enxergar
Assim, misterioso, puro
Como água de uma nascente


Então essa lágrima é pela ponte atravessada
Por seu sorriso belo e verdadeiro
Esse foto principia de sua luta
E a paz que voltou a habitar nossa existência


Então enquanto você sorri, eu choro
Mas saiba que é de saudade,
Mas também de amor,
Que não me canso de declarar
Um eterno amor por você, filho!


Autora
Liê Ribeiro
Mãe de um rapaz autista.
Paz e luz

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Atravessar a Ponte!