Longa estrada
Infinitas possibilidades
Quais nós seguiremos?
Eu tento não pensar
Nesse tal amanhã
Que demora a se pronunciar.


Curta existência
Para tantos sonhos
Uns tão reais
Outros quase impossíveis.


Alguns sonhados pelo coração
Outros nascidos do pensamento.
O que é mais valioso?
A matéria densa, perecível
O interior subjetivo e latente?


Há sonhos infantis
Há sonhos maduros
Há sonhos de todas as cores
Formas e essência...


Os mais puros
São aqueles que nunca abandonamos
Há sonhos emprestados
Há sonhos repartidos
Esses são o mais custosos.

Mas a ambivalência do sentir
Não nos impedirá de vivê-los
Quiçá por inteiro
Pois pode haver sonhos divididos
Mas jamais sonhos fragmentados...
Esses sempre se tornarão pesadelos!


Autora
Liê Ribeiro
Paz e luz

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.