A Blusa do avesso!




A blusa do avesso
A vida do avesso
A casa em plena solidão.
Caminhamos devagar...

Nossa vida
Contada em inspiração
Quem encontrará
Os vestígios da nossa existência?


Papeis sonhos, papeis.
Deveríamos evaporar
Como ar...
Secar feito folha...
E germinar em outro solo.


Temos em nossas mãos
A solução de nossas mazelas
Você vive por um instante
O café o almoço
Espera a tarde pelo chá.


À noite a janta, o banho,
Tudo milimetricamente exato
E se eu me atraso
Seu olhar me pergunta.
Seus passos me rodeiam
E eu nem ai...


Querido!
As coisas às vezes saem do rumo
E o tempo passa correndo
Por nossas mãos.
Não me espere,
Eu irei, e você irá
O atraso é normal


E vejo que você já entendeu.
Sorri e senta...
Quem dera você pudesse
Pegar a rédea de sua vida

E fazer dela um entusiasmo do criador.


Onde falhamos?
Agora não importa
É tempo de evolução
E esses nossos dias
Vão se completando

O ciclo do nosso aprendizado.
E a blusa do avesso, e daí?


Autora
Liê Ribeiro
Mãe do Gabriel Autista.
Paz e luz...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Poema para Gabriel!

Poema FELIZ ANO NOVO, PARA MEU FILHO, GABRIEL, autista.